Sobre ratos e insônia

tumblr_mrx8muY9J71rwvz9ao1_400

Em novembro do ano passado apareceu um rato onde eu moro. Como quem não queria nada, ele entrou aqui e, imagino, encontrou uma fonte de comida e, portanto, de felicidade. Felicidade para ele, claro, pois desde então fez de mim e da minha colega de casa seres bastante infelizes.

Esse rato me atormentava. Primeiro, porque eu não gosto de ratos. “Mas quem gosta?”, você deve perguntar. Não sei. Imagino que existem pessoas com gostos excêntricos para tudo, mas OK, reconheço que a maioria prefere não se relacionar com essas criaturas. Só que eu não apenas não gosto, eu odeio, eu abomino. Na lista de animais que detesto, os ratos estão no topo, acho que só perdem para os bichos rastejantes, dos quais tenho verdadeiro pavor e asco. “Meio fresca você, né?” Sim. E não tenho por que fingir que não. Mato uma barata tranquilamente, mas não me venha com ratos.

A segunda razão do meu tormento era que eu ficava imaginando o rato vagando por aí durante a noite, em busca de comida. Andando pelos objetos que depois eu teria que usar, mexendo na comida alheia. Eu escutava o barulho dos dentes enormes dele, roendo coisas, as patas nojentas que se moviam pra lá e pra cá e eu simplesmente não podia dormir. Mas também não podia levantar e enfrentá-lo sozinha. Sim, foi um verdadeiro tormento.

Isso durou semanas, meses, com momentos em que quase pegávamos o rato, em outros que ele ficava dias sem aparecer (uma trégua entre a gente) e outros de terror e pânico nas noites aventureiras do animal. Colocamos venenos de vários tipos, várias vezes. Ele não morria. Parecia que o veneno o tornava mais forte e poderoso.

Um belo dia, porém, chegou a hora da nossa vingança. Foi no mês passado, em abril. Eu estava no meu quarto, quando escutei minha colega gritar: “Sarah, eu vi o rato, vamos matar ele!”. Uma luz de esperança se acendeu em meu coração. Mas e o medo? Porque eu sabia que iria sobrar para mim, pois devido a uma questão de saúde, minha colega estava impossibilitada de fazer muito esforço físico. Mas era naquele momento ou nunca mais, o rato estava sem saída.

Ele estava escondido atrás de umas madeiras que estão empilhadas aqui. Comecei a tirar todas elas, enquanto minha colega esperava com a vassoura, para o caso de ele escapar durante o meu trabalho. E foi o que aconteceu. Quando me dei conta, ela estava dando um milhão de vassouradas no rato, até que ele morreu.

Quando vi que o rato estava morto, fiquei aliviada, mas também percebi que não passava de um ratinho pequeno, um camundongo. Partiu meu coração ver aquele pequeno cadáver e imaginar que ele só estava tentando sobreviver. Talvez fosse o rato aventureiro da família, talvez fosse buscar comida para os seus irmãozinhos, talvez ele fosse um medroso que no único ímpeto de coragem que teve, foi pego. Fiquei com dó do ratinho…

Mas, confesso, dormi muito mais aliviada sabendo que nenhum ser vivo estava caminhando pelas comidas e objetos da casa. Dormi super bem nos dias seguintes também. Eu e minha colega relembrávamos sem parar a saga de meses que foi para pegar esse rato.

Passaram-se duas semanas. Começaram a reformar o apartamento da frente, que estava vazio. Adivinhe quem descobriu um mundo maravilhoso cheio de comidas? Isso mesmo, um novo rato.

Hoje eu o vi, mas não foi possível pegá-lo. E agora não consigo dormir direito, imaginando que ele está ali com suas patinhas, seus dentes e sua sujeira de sabe-se lá de onde… Estou atormentada novamente e ao invés de dormir, estou aqui, escrevendo sobre ele. Quantos meses durará essa nova saga?

Anúncios

3 comentários sobre “Sobre ratos e insônia

  1. Eu sou muito hipocondríaco então palavras reconfortantes a dizer a você, para mim é mais complicado. Proteja a comida e os objetos de higiene pessoal.
    Talvez fosse o caso de pedir ajuda externa para se livrar dele e evitar objetos amontoados nos cantos.

    Abraços, Sarah.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s