Um ano na Colômbia!

DSC05012

Foto: Sarah F. Toledo

Nesses primeiros dias de setembro, sendo que eu não lembro exatamente o dia, faz 1 ano que estou morando na Colômbia. Na verdade, nunca imaginei que esse tempo fosse passar tão rápido assim, mas 2015 está voando!

Eu gosto de parar em alguns momentos da minha vida e fazer um balanço de tudo. Quase nunca é na virada do ano, como muitos costumam fazer, geralmente é no meu aniversário ou em algumas datas significativas. Então achei que esse seria um momento interessante para refletir como tem sido a experiência de viver fora do Brasil. As coisas mais pessoais e filosóficas guardo pra mim mesma, mas resolvi compartilhar algumas outras que acho que podem interessar quem pensa em um dia sair do país, porém farei isso no próximo post, pra esse não ficar gigantesco. Hoje é só um blá, blá, blá mesmo.

É maluco pensar que eu nunca tive realmente o plano de me mudar. Sei que algumas pessoas sonham em morar em outros países, temporariamente ou pra sempre. Gosto muito de viajar e quero, sim, conhecer muitos lugares ainda. Também não posso negar que tinha curiosidade sobre como seria a experiência de estudar fora ou passar uma pequena temporada em outro país. Mas sonhar com isso, desejar com todas as forças do mundo… definitivamente não era assim.

Por outro lado, no fundo eu sabia que se fosse pra sair do Brasil eu iria pra um país da América Latina. Provavelmente na busca de uma identidade que, em geral, não é muito valorizada pelos brasileiros, que não se percebem como latinoamericanos (mas sobre isso eu falo em outro momento, talvez). Ainda que futuramente eu pudesse (possa) viver em outro (s) país (es) fora do nosso continente, eu sabia que se fosse pra começar, seria por aqui.

A Colômbia, que provavelmente não estaria no topo de uma lista imaginária de países pra morar, apareceu como a opção mais óbvia quando eu estava querendo fugir do fim de um mestrado completamente estressante, de uma experiência frustrada de trabalho e, principalmente, quando eu me deparei com a necessidade urgente de estar perto de alguém que me faz muito feliz. Já contei aqui, nada foi planejado, eu simplesmente decidi vir e vim. E depois de um ano, apesar de muita saudade da família, dos amigos, do meu lugar, eu olho pra trás e não me arrependo em nenhum momento de ter vindo.

Em Cartagena eu tenho aprendido muito. E com isso eu não quero dizer apenas que eu tenho conhecido coisas novas. Eu tenho aprendido muito sobre mim mesma, sobre meus limites, sobre o que eu valorizo e o que quero pra vida. Também tenho aprendido muito sobre relacionamentos com a família, amigos, namorado, desconhecidos.

Além disso, eu não posso nem mensurar o valor cultural e intelectual que essa experiência tem me oferecido. Conhecer Cartagena – e não só o lado lindo e turístico que a maioria das pessoas conhecem quando vêm aqui, mas a cidade com todos os seus problemas sociais, o descaso do poder público com a parte não turística, os problemas de estrutura – conhecer tudo isso tem me feito refletir sobre a força que nós, latinoamericanos, com tantos problemas em comum, podemos ter se nos unirmos. Também tem despertado minha curiosidade pra conhecer mais sobre as formas de resistência de um povo, realmente, tão heroico e lutador. Isso deve ser coisa de cientista social, eu não posso evitar.

É claro que nem todos os momentos são felizes e de aprendizados. Tem alguns pontos negativos em sair do seu país. A saudade, a solidão, os momentos de dúvidas, querer a presença da mamãe, a comida do papai, a chatice dos irmãos, as maluquices da Baleia, querer ligar pros amigos e sair pra botar o papo em dia, contar piadinhas sem graça (vocês sabem como é difícil ser engraçado em outra língua?), achar piadas engraçadas (também é muito difícil entender piadas em outra língua), não se sentir em casa. Esse é um dos piores momentos, se sentir longe demais de casa e sem contar com um teletransporte.

Mas no fim das contas, vale a pena e por isso eu posso dizer, depois de um ano, que uma das coisas mais loucas que eu já fiz é também uma das melhores coisas que eu já fiz. Se vocês me perguntam quanto tempo mais eu vou ficar aqui, ainda não sei, na verdade, no momento não depende muito de mim. Mas sei que quando eu voltar pro Brasil, porque isso com certeza vai acontecer, serei uma pessoa completamente diferente. E que bom por isso!

Anúncios

Um comentário sobre “Um ano na Colômbia!

  1. Pingback: 7 aprendizados sobre morar fora do Brasil | Sarices

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s