Documentários bacanudos que vi na Netflix #1

procrastinar

Pode não parecer, mas eu continuo procrastinando, sim. Não sei viver sem procrastinar um pouquinho cada dia, apesar de que nos últimos tempos não tenho conseguido muito. O que é triste, porque isso que alguns chamam de procrastinar, mas eu prefiro chamar de tempo de descanso da mente, é muito importante! Enfim, já faz tempo que não tenho compartilhado o que eu faço no meu período de procrastinação, que é basicamente assistir coisas, então resolvi atualizar vocês sobre essa coisa super útil e necessária (para mim, no caso). Como são coisas acumuladas, vou dividir por temas e dessa vez vou falar dos documentários legais que vi na Netflix. Vejam só, momentos de descanso da mente também podem ser momentos de muito aprendizado, de verdade.

Eu gosto de documentários e gosto dos que a Netflix coloca no seu repertório, porque geralmente são sobre assuntos bem sérios e que merecem atenção, mas que a gente prefere ignorar pra ser mais feliz, ou porque não quer ter o trabalho de refletir sobre aquilo e sobre nossos próprios hábitos. Eu assisto com o namorado e sempre ficamos um pouquinho mais tristes com o mundo, mas também ficamos um pouquinho mais críticos em relação a isso. Não que documentários sejam um retrato da realidade e assisti-los substitui outras fontes de estudos, não é isso. Documentários são uma linguagem pra falar sobre um assunto, como existem várias outras linguagens. Um filme de comédia, por exemplo, também pode aguçar nosso senso crítico com relação ao assunto tratado. Mas eu, particularmente, gosto da linguagem de filmes documentários e por isso venho aqui compartilhar a lista dos últimos que vi e gostei muito.

Todos estão na Netflix daqui da Colômbia, não tenho certeza se estarão disponíveis também no do Brasil, mas acredito que sim. Não custa procurar aí. Então vamos começar.

* Food matters: Esse é um documentário que fala mais sobre o uso exagerado de remédios que sobre comida, em si. Fala um pouco sobre como nós somos viciados em remédios, sobre a indústria farmacêutica e seus negócios, inclusive, de fazer com que a gente consuma remédios que não precisamos, sobre como os médicos em geral quando pensam em um tratamento de saúde, pensam logo em nos entupir de químicos. O documentário fala que uma alimentação saudável, com tudo o que nosso organismo precisa, pode não apenas prevenir, mas curar doenças. Claro, alimentos saudáveis também, não esses cheios de venenos agrotóxicos. Enfim, trata de um assunto importante pra todo mundo, eu acho. Vale a pena ver. O trailer está aí:

 

* The True Cost: Esse documentário fala sobre moda e trabalho escravo. Fala sobre grandes marcas, muito conhecidas e usadas, procuram países onde podem pagar quase nada pela mão-de-obra utilizada e assim, venderem as roupas a um custo mais baixo. E nós compramos, achando supimpástico comprar roupas baratas. Mas qual é o preço verdadeiro? Eu, que nunca fui consumista, nem de ligar pra marcas e sempre desconfiei de roupas muito baratas, fiquei chocada ao ver esse documentário. Porque o consumo sem limites faz a gente não dar a mínima pra de onde o produto vem. Mas ele pode estar vindo do sangue de outras pessoas, literalmente. Vejam e divulguem, porque é importante. O trailer está a seguir:

 

* What happened Miss Simone?: Eu gosto da Nina Simone e quando vi que a Netflix ia lançar um documentário sobre ela fiquei esperando ansiosamente. Mas mesmo quem não conhece ela, ou não gosta de suas músicas, vale a pena assistir pra conhecer a história dessa mulher maravilhosa. Ela tem uma história cheia de fases e a que eu mais gosto é a parte de sua militância que foi como o auge e a decadência da carreira dela, ao mesmo tempo. Uma mulher incrível como ela só podia ter sua história contada de uma maneira incrível também. A Netflix se superou nesse documentário. Vejam o trailer:

 

* Girl Rising: Esse documentário conta a história de algumas meninas, em diferentes países, que passam por situações difíceis para conseguir estudar, não apenas pela pobreza, ou a guerra, mas pelo simples fato de serem meninas. Fala sobre como elas podem ir muito longe quando conseguem ter acesso à educação. E é claro que uma menina pode ir muito, muito longe. O trailer:

 

* GMO OMG: Esse documentário fala sobre as comidas geneticamente modificadas que consumimos, o que, se formos ver bem, é praticamente tudo o que comemos, já que as grandes corporações de alimentos têm controlado isso de maneira assustadora. E assustador é realmente a palavra que podemos usar nesse caso, porque existe uma briga para que, no mínimo, tenhamos a informação sobre se o que comemos é ou não geneticamente modificado. O documentário fala sobre tudo isso. Infelizmente não achei o trailer dele legendado.

 

* Miss Representation: Um documentário muito importante para discutir questões do feminismo. Fala sobre como as mulheres são representadas na mídia e não apenas da maneira mais óbvia que podemos pensar, na exposição de seus corpos  em videoclipes de músicas ou na televisão, mas também de uma maneira mais “sutil”, colocando as mulheres como coadjuvantes ou desqualificando seus atributos intelectuais, colocando a atenção apenas em sua aparência. Por exemplo, quando se trata de uma apresentadora de um jornal, em personagens de filmes, ou como as notícias falam sobre as líderes políticas, desconsiderando o assunto próprio da política e chamando a atenção para sua roupa, ou como elas perderam ou ganharam peso. Vale muito, muito a pena ver esse documentário. Também não achei o trailer legendado, mas achei em espanhol, talvez facilite. De qualquer forma, o documentário está traduzido na Netflix, né?

 

* Bottled Life: Esse documentário me fez boicotar a marca Nestlé. Hoje em dia não consumo mais nada que seja produzido pela marca. Bem, não foi só o documentário, eu já estava de olho em notícias que falavam sobre coisas indevidas encontradas em diversos alimentos, como chumbo encontrado em macarrão e já queria parar de consumir produtos da marca, depois que vi esse documentário tive certeza de que não devo colaborar para enriquecer uma empresa assim. O documentário fala sobre a produção de água mineral em algumas cidades em que a Nestlé se apropria das fontes de água potável, deixando as pessoas moradoras desses locais completamente sem água, ou com suas fontes contaminadas. Enquanto a empresa lucra produzindo uma água para vender super caro depois. Chega a ser imoral uma coisa dessa. Recomendo muitíssimo esse documentário. Não vou colocar o trailer aqui, porque nem em inglês eu achei, só em alemão. Mas, enfim, no Netflix está traduzido, entrem lá e vejam.

 

Bem, por enquanto são esses os documentários que eu vi e fiquei a fim de compartilhar. Obviamente, a Netflix não me paga nada por isso. Mas quem não ama a Netflix, né? Agora, se alguém não usa, pode procurar os documentários em outros lugares da internet. Espero que gostem tanto quanto eu.

Anúncios

2 comentários sobre “Documentários bacanudos que vi na Netflix #1

  1. Pingback: Documentários bacanudos que vi na Netflix (e no Youtube) #2 |

  2. Pingback: Parem de chamar a Dilma de vaca! | Sarices

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s