Mia Couto me faz chorar

Acabei de ler Vozes Anoitecidas do Mia Couto.

Mia Couto é um escritor moçambicano. Gosto muito dele não só por seus livros maravilhosos, mas também porque ele é aquele tipo de escritor que não vive em um mundo paralelo, sabe? Ele é aquele “artista-cidadão”, que o Sérgio Vaz fala em seu Manifesto da Antropofagia Periférica. Ele se encaixa num perfil de escritor que Mário de Andrade iria se simpatizar muito. Já que para Mário de Andrade um poeta não deve ser um conformista.

“A convicção intelectual nos obriga a forçar nossas sinceridades espontâneas, ou erradas, em proveito de uma sinceridade maior. […] O poeta está educado por século e meio de arte gratuita, não participante, socialmente conformista, distanciadora de classes, a serviço da classe dominante e para o gozo dela. Pois cabe a ele, é seu dever, se reeducar.” (Mário de Andrade)

O que Mia Couto escreve é ficção, mas está no mundo real. Definitivamente, é uma das razões que me faz gostar dele.

Vozes Anoitecidas me fez chorar. É um livro de contos e achei todos eles muito tristes. E não só porque a história que o autor narra é triste, também pela forma como ele constroi as frases. Por exemplo, no conto “A Fogueira”:

“O velho foi chegando, vagaroso como era seu costume. Pastoreava suas tristezas desde que os filhos mais novos foram na estrada sem regreso.

‘Meu Marido está a diminuir’, pensou ela. ‘É uma sombra’.

Ou no conto “O dia em que explodiu Mabata-bata”, que é o conto mais triste do livro:

“O medo escorregou dos olhos do pequeno pastor”.

É linda a maneira como ele diz as coisas e faz a gente ficar imaginando ainda mais aquela cena. É bom ler os clássicos, mas que coisa ótima é ter escritores na contemporaneidade sendo tão gênios e talentosos. Vozes Anoitecidas já começa sendo um livro maravilhoso com a seguinte nota de abertura:

“O que mais dói na miséria é a ignorância que ela tem de si mesma. Confrontados com a ausência de tudo, os homens abstêm-se do sonho, desarmando-se do desejo de serem outros. Existe no nada essa ilusão de plenitude que faz parar a vida e anoitecer as vozes”.

Leiam esse livro! Talvez vocês chorem também, mas vale a pena.

 

Anúncios

3 comentários sobre “Mia Couto me faz chorar

  1. Pingback: Repost: Retrospectiva Literária 2016 |

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s