Chuva de verão, São Paulo, enrolações

Oi. Faz tempo que eu não venho aqui falar nada sobre o nada que estou fazendo da vida, então aqui estou.

Para quem não sabe, estou em São Paulo. Ainda não voltei definitivamente para o Brasil, isso será num futuro próximo, mas não imediato. Vim porque fazia 1 ano que não voltava aqui e estava com saudade da minha família, dos meus amigos, da Baleia, do meu idioma, das comidas, ou seja, de tudo. 1 ano é muito tempo para acumular saudades. Ficarei um tempinho aqui porque tenho muitas coisas para organizar e resolver. Muitas questões burocráticas chatas (eu odeio lidar com questões burocráticas) e outras coisas menos chatas, mas que precisam ser resolvidas.

Voltar ao Brasil depois de 1 ano sem vir aqui tem sido uma experiência interessante. Tenho um sentimento de que nada mudou. Voltei e meu quarto estava aqui me esperando, as coisinhas que não levei, meus livros, etc. É bom estar em casa, com meus pais, meus irmãos, mas a sensação é de que eu nunca fui. Não sei se eles têm essa mesma sensação sobre mim, claro. Também com meus amigos, aqueles verdadeiros amigos que a gente fica meses sem se ver (embora se fale quase todos os dias por Whatsapp, Skype e afins), mas que quando encontra é como se tivéssemos nos visto na semana passada, com esses amigos também sinto que tudo está igual. Eu considero isso uma coisa muito boa, me dá uma impressão de estar sendo bem sucedida das minhas relações (haha). Na verdade, me dá uma sensação de ter um lugar seguro, com pessoas que estão ao meu lado, que podem contar comigo e eu posso contar com elas. Mesmo que não sejam muitas pessoas, é bom quando a gente tem elas por perto.

Ao mesmo tempo, estou em uma situação meio complicada com São Paulo, especificamente. Quem me conhece sabe da minha relação de amor e ódio com São Paulo. É assim desde que me mudei para cá. São Paulo é uma cidade incrível e eu amo o fato de que você consegue tudo o que procura, amo a vida cultural intensa dessa cidade, amo as facilidades de viver na maior cidade do Brasil. Mas odeio o estresse, odeio demorar no mínimo uma hora para chegar nos lugares (minha reação quando me dizem que é “só” uma hora: UUUUHUUUU!), odeio que seja uma cidade cruel e injusta para muitas pessoas, odeio a qualidade de vida que se tem aqui, que não é boa. Os amantes de São Paulo vão me detestar ao ler tudo isso, mas é verdade. A não ser que você more do lado de um metrô,  ou trabalhe e estude perto de casa, a sua qualidade de vida já está 50% prejudicada, porque você vai perder horas e sua paciência no trânsito e na distância. E vamos ser honestos, morar perto do trabalho é privilégio de poucos. Enfim, esse provavelmente é o preço que se paga por ter qualquer coisa a qualquer hora.

Mas voltando, minha relação com São Paulo sempre foi meio “te amo, mas te odeio”. Mas, claro, depois de 9 anos morando aqui me acostumei a essa vida doida. Só que parece que pouco mais de 1 ano em Cartagena foi suficiente para eu me desacostumar. Vocês devem saber, Cartagena não é uma cidade muito grande. Se comparada a São Paulo (se é que dá para comparar cidades tão diferentes), ela é muito pequena. Confesso que foi meio estranho no início, por esse lado. Ainda é, às vezes me bate um incômodo em ter poucas opções de lazer (para os turistas é uma belezura, mas para quem mora lá é diferente, viu?), ou em ver esse “espírito” de cidade pequena e conservadora em muitas coisas da vida cotidiana. Isso me incomoda em vários momentos, mas, por outro lado, me forçou a abandonar um pouco esse ritimo frenético de São Paulo, em que tudo é para ontem. Também me deixou mal acostumada com as curtas distâncias, embora o trânsito lá não seja bom também, mas outro dia falo sobre isso. Enfim, eu desacelerei em Cartagena, o que era um dos meus objetivos ao ir para lá. Então, voltar a São Paulo e voltar a demorar uma hora e meia, duas horas para chegar nos lugares, isso tem me estressado um pouco e me causado uma sensação estranha que não sei explicar muito bem. Definitivamente, espero que ao voltar para o Brasil eu tenha a chance de viver em uma cidade que consuma menos da minha alma.

Mudando de assunto, voltei para o Brasil no verão e estou gostando muito disso. Depois de tantos meses num calor intenso você pode me achar maluca em gostar de voltar para o Brasil no verão e passar mais calor, mas eu gosto dessas chuvas no fim da tarde, gosto que demore para anoitecer e, sim, se não estou morrendo derretida, prefiro o calor ao frio. Já comi quase todas as comidas que estava com saudades, talvez as principais. Estou fazendo meus trabalhos, estudando coisas, lendo literatura, tudo está ótimo, exceto pela saudade que sinto do namorado, mas isso a gente resolverá em breve. Minha vida, como sempre, não tem nada de interessante, como vocês podem perceber.  E após essa pausa para fofocar, voltamos à programação normal do blog (hahaha). Em outro momento, volto para mais fofocas. Um abraço.

Anúncios

Um comentário sobre “Chuva de verão, São Paulo, enrolações

  1. Pingback: Eu odeio lidar com burocracia! (E outras histórias) |

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s