Saldo de filmes #3

filmes

Oi! Faz tempo que não venho contar sobre meus momentos de “procrastinação”, que eu prefiro chamar de lazer. Também faz muito tempo que não venho comentar dos últimos filmes que vi, a última vez foi em janeiro desse ano! Tenho comentado mais sobre as séries que vejo, porque realmente eu tenho passado mais tempo vendo séries que filmes. Estou tentando ser mais equilibrada e dedicar um pouco de tempo ao cinema também, mas sabe aquela coisa de querer ver a continuação da história até que ela acabe? Pois é, cada vez que paro para assistir alguma coisa digo: “vou ver um filme”, mas uma força maior que eu me direciona para continuar vendo a série do momento. Está difícil sair dessa. Mas, bem, assisti alguns filminhos esse ano e vou destacar aqui os que mais me chamaram atenção até agora.

Como sempre, quero deixar claro que não sou crítica de cinema, não vou fazer análise nenhuma de filme algum, apenas vou compartilhar filmes que eu gostei para o caso de alguém se animar a assistir. Todo mundo gosta de compartilhar coisas que achou legal, né? Ou se você já tiver visto, podemos trocar impressões. Então vamos lá. Vou fazer uma lista aleatória, conforme eu me lembrar, não é por ordem de preferência.

 

The first grader – O título desse filme em português é “Uma lição de vida”. Em espanhol aparece na Netflix como “El escolar”. É um filme baseado em uma história real, a história do queniano Kimani Maruge, que com 84 anos decidiu aprender a ler e escrever. Ele se matricula na única escola do seu povoado, que é frequentada por crianças pequenas e isso não é bem visto por algumas pessoas. É uma história muito bonita e inspiradora, além de apresentar um contexto social e político de pós independência do Quênia. Gostei muito desse filme e mais ainda por saber que se trata de uma história real. O trailer está aí abaixo:

 

Cake – Em português colocaram um subtítulo, ficou “Cake – uma razão para viver”. É um filme sobre uma mulher depressiva que faz parte de um grupo de apoio para pessoas com dores crônicas. Nesse lugar ela tem a notícia que uma das mulheres do grupo cometeu suicídio (não é spoiler, o filme começa a partir daí) e a história dessa quase desconhecida a deixa intrigada e ela começa a se envolver – até mais do que deveria – com tudo o que aconteceu, misturando isso  com sua própria história. É um filme meio triste, tenho que dizer. Fala sobre depressão, né? Não tem como não ser triste. Não achei um filmão, assim, sensacional, mas é bom, tem uns diálogos bem interessantes. Um dado importante: a protagonista é a Jenifer Anniston (eu amo ela).  O trailer a seguir:

 

Paraíso – Esse é um filme mexicano, que conta a história de Carmen e Alfredo, um casal que está acima do peso. Após Alfredo ser transferido no trabalho, eles se mudam para a Cidade do México. Com essa mudança, Carmen decide que eles também deveriam mudar sua situação e começam juntos um programa para emagrecerem. Só que isso também vai transformar muitas coisas na relação entre os dois. É um drama misturado com comédia que eu achei muito legal e por isso recomendo. O trailer está aí:

 

Preludio – Também é um filme mexicano, independente. Achei esse filme sensacional por ser capaz de prender o telespectador por mais de uma hora de puro diálogo. Comecei a ver esse filme sem pretensões, alguma coisa na sinopse me chamou atenção. Uma chefe de cozinha e um músico que também trabalha numa funerária se conhecem em uma festa. Na verdade, antes da festa – os dois chegam adiantados e ficam conversando enquanto a festa não começa. Acreditem ou não, o filme inteiro se passa em um só lugar: a sacada do apartamento e trata-se dos dois conversando sobre vários assuntos, como a gente conversa com qualquer pessoa que acabamos de conhecer, em uma situação similar. Quando me dei conta, o filme estava acabando e eu fiquei presa assistindo uma hora de conversa. Achei muito legal como o diretor conseguiu fazer isso e a espontaneidade dos dois protagonistas. Não encontrei o trailer legendado, mas aqui está ele em espanhol:

 

Suffragette – Em português esse filme ganhou o título de “As Sufragistas”. Esse filme é mais famoso que os anteriores, então imagino que muitos de vocês já saibam do que se trata. Conta a história de um movimento de mulheres pelo direito de votar, no Reino Unido no início do século XX. É um filme interessante por oferecer uma leitura de um momento histórico tão importante para as mulheres e o movimento feminista. Já sei de colegas professores que estão, inclusive, usando esse filme em suas aulas, o que é bem legal. Caso você ainda não conheça, pode ver o trailer aqui:

 

Bem, acho que esses foram os que eu mais gostei até agora, para destacar. Exceto pelo último, todos estão disponíveis na Netflix, para o caso de vocês quiserem assistir. Se alguém já viu um deles, fale aí o que achou. Se alguém tem recomendação de filmes, fale aí nos comentários, eu vou gostar de ter mais uma motivação para abandonar um pouquinho as séries e ver mais filmes.

 

Anúncios

Um comentário sobre “Saldo de filmes #3

  1. Pingback: Saldo de Filmes #4 |

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s