Livros e mais livros

book-759873_1920

Estou muito orgulhosa de mim mesma porque neste ano estou consguindo ler muito mais do que no ano passado. Acho que no final do ano vou falar um pouco mais sobre isso, mas foi um dos meus “projetos de ano novo”. Estava sentindo a necessidade de me dedicar mais à leitura, algo que eu sempre gostei de fazer.

Desde pequena fui incentivada a ler pela minha mãe e minhas tias e adquiri o hábito e o gosto pela leitura. Lembro de uma fase na adolescência que eu ia à biblioteca pública e voltava com dois, três livros de uma vez, para devorar e devolver em duas semanas. Eu tinha um ritmo de leitura frenético, mas cá entre nós, não tinha muito o que fazer da vida também. Depois que entrei na faculdade continuei lendo muito, mas eram leituras acadêmicas e obrigatórias. Foi a partir daí que diminui consideravelmente minhas leituras por prazer e os livros de literatura. Só depois de terminar o mestrado consegui voltar a eles, mas num processo de leitura bem mais lento. Ler é um exercício e se a gente para de praticar, fica enferrujado. Por isso tenho me colocado esse pequeno projeto a cada fim de ano, de ler mais que no ano anterior.

Bem, tudo isso é para comentar sobre minhas últimas leituras. Até pensei em fazer um post separado para cada uma delas, mas fiquei com preguiça. Falar sobre minhas leituras é algo que não vai acrescentar nada na vida de vocês, obviamente, mas como já disse diversas vezes aqui no blog, eu gosto de comentar sobre as coisas que leio, ouço e vejo. Também penso que se vocês já leram ou querem ler esses livros, a gente pode trocar figurinhas.

O penúltimo livro que li foi o “Hóspede por uma noite”, do Sch. I. Agnon. Contei umas duas vezes por aqui como estava difícil essa leitura! A história do livro é muito interessante, mas achei o processo de leitura em alguns momentos muito cansativo. Sobre o que fala esse livro? hospede-por-uma-noiteO livro é narrado pelo personagem principal. Ele é um judeu que sai de Israel, onde vivia, para visitar sua cidade natal. Sua intenção inicial era fazer uma visita rápida, por isso o nome do livro, ele pretendia se hospedar ali apenas por uma noite. Mas desde sua chegada na estação de trem, uma série de recordações, pensamentos e problemas faz essa estadia durar muito mais tempo.

O narrador, de volta à sua cidade natal, se depara com um cenário lamentável de pobreza e desolação após a Primeira Guerra Mundial. Não só isso, ele encontra um lugar onde seguir a fé e os preceitos judaicos não é tão simples nesse contexto em que nem as necessidades básicas imediatas são atendidas. Nesse livro o autor discute religião, a guerra e muitas das questões mais profundas da humanidade. É realmente um livro cheio de complexidade. Um dado curioso é que ele foi publicado em 1939, pouco tempo antes de estourar a Segunda Guerra Mundial, quando os judeus sofreriam infinitamente mais.

Apesar de eu ter dito que achei o processo de leitura um pouco chato em alguns momentos, recomendo bastante esse livro, especialmente para quem tem interesse em temas como esse. A edição que eu li, que é a da editora Perspectiva, de 2014, ainda traz uma contextualização maravilhosa para quem não conhecia o autor, como era o meu caso. Vale a pena procuarar por ela.

Após essa leitura comecei a ler “A amiga genial”, da Elena Ferrante. Foi muito curioso porque ao contrário do livro anterior, o processo de leitura desse foi tão fluido que acabei ele em mais ou menos duas semanas. Não é só porque é um livro gostoso de ler, mas porque é uma história que prende você ali até acabar.

Esse livro é o primeiro de uma tetralogia que conta a história de duas amigas, a Elena (Linú) e a Lila. A história é contado por Elena quando ela já é uma senhora. O livro começa com ela recebendo o telefonema do filho da Lila, dizendo que sua mãe está desaparecida. Elena não parece se surpreender muito, na verdade ela fica um pouco irritada, e ao se lembrar da amiga volta lá no começo da história das duas, quando ainda eram crianças. Esse primeiro volume conta sobre a fase da infância e adolescência delas. Duas meninas vivendo num bairro pobre de Nápoles. Elena conta como elas se tornaram mais que amigas: cúmplices e rivais ao mesmo tempo, tendo que lidar com um contexto realmente miserável em que estudar, por exemplo, nem sempre era uma opção.a-amiga-genial

Gostei muito desse livro, achei que ele tem uma perspectiva um tanto quanto feminista. O único problema é que agora estou curiosíssima para ler os seguintes volumes e parece que no Brasil só os dois primeiros estão disponíveis. Procurei aqui na Colômbia e até encontrei os outros pela internet, mas eu tenho uma coisa (que não sei nomear) com livros. Fiquei pensando que ia ler uma tradução diferente, de uma edição diferente e talvez isso me atrapalhasse até mesmo a continuar gostando dos livros. Ainda tem a questão física que só quem é amante dos livros impressos vai me entender: a capa da edição da Biblioteca Azul é essa lindeza aí que vocês estão vendo. Eu quero ter a coleção com essas capas bonitas. Então vou esperar dar um pulinho no Brasil e comprar o segundo volume. Quem sabe até lá já publicaram o terceiro também.

Bem, acabei esse livro e comecei a ler o “Melhores Contos”, da Lygia Fagundes Telles. Eu gosto muito de ler contos e crônicas, são textos mais curtos que facilitam a gente continuar lendo mesmo quando o dia está um pouco corrido. Também estou conseguindo ler rápido, porque as histórias da Lygia prendem a gente. Tem uma que eu mais gostei até agora, mas vou falar sobre ela em outra oportunidade. Acho que termino esse livro essa semana. Quero ler mais escritoras mulheres, então vocês podem me recomendar o que já leram e gostaram.

Comecei a ler também um livro acadêmico de Sociologia, que se chama “Los desterrados del paraíso (Raza, pobreza y cultura en Cartagena de Indias)”, é um livro sobre Cartagena, com artigos sobre como a população negra foi sendo marginalizada pelas elites brancas em sua própria cidade. Acho importante conhecer mais a história do lugar onde vivo, especialmente desde essa perspectiva cultural que me interessa bastante. Aliás, me interessa inclusive academicamente, por isso também comecei a ler. Aos poucos estou voltando a essa coisa de academia. O mestrado me traumatizou profundamente, haha. Quando estiver com a leitura um pouco mais avançada, talvez eu comente sobre ele aqui também.

Se vocês se animarem em ler algum desses livros, me contem depois o que acharam para a gente trocar impressões. Se quiserem me indicar algum livro, eu sempre aceito indicações, especialmente se for de escritoras mulheres.

Se vocês quiserem saber tudo o que já li e estou lendo, me adicionem no Skoob.

 

 

Anúncios

5 comentários sobre “Livros e mais livros

  1. Pingback: Repost: Retrospectiva Literária 2016 |

  2. Por coincidência, também voltei com os livros, Sarita. Acho que para me acalmar um pouco, andei bem estressada por causa do trabalho. Daí sair da realidade com a literatura (e com séries também) fazem, como é esperado, me esquecer dessa coisa toda.
    Terminei hoje com o segundo volume da tetralogia napolitana da Ferrante. Gostei bastante de ler o livro de quase 500 páginas bem rápido também. Tinha um tempo que isso não acontecia, acho que desde A amiga genial, rs. Tendo a ter preferência pelo cenário mais infantil, então o primeiro me pareceu mais querido. Mas História do Novo Sobrenome é ótimo e já estou com saudades. Sabe que vão lançar o terceiro esta semana? Sim, não resisti e já o comprei na pré-venda, haha.
    Sobre indicação de livros com autoras mulheres, indico um que li recentemente, se tornou um queridinho meu e se chama “Nada”, da escritora espanhola Carmen Laforet. Ela o escreveu com 23 anos de idade e, mesmo sendo sua primeira publicação, ganhou um do maiores prêmios de literatura espanhola. Esse livro fala da pobreza no pós Guerra Civil Espanhola, e de como era mais difícil ainda ser mulher, jovem, solteira e órfã. E também fala sobre fazer e desfazer amizades, que foi o que mais me chamou a atenção. Bom, ele não é de todo fluido, pensando agora, mas o li em um momento empático entre mim e a personagem principal, rs.

    • Livita, livros salvam vidas, a gente sabe disso. Que bom que você está voltando também, poderemos trocar várias ideias.
      Sério que já vão lançar o terceiro volume da Ferrante? Essa é uma boa notícia, porque já sei que quando for aí poderei comprar os dois! hahahah… e te entendo comprar na pré-venda, eu faria o mesmo.

      Obrigada pela indicação do livro, eu vou salvar aqui o nome e procurar depois, me interessei pelo resumo rápido que você fez aí. Tudo bem a leitura não ser fuida, a gente vai intercalando… rs…

  3. Sarah!! Esse “A Amiga Genial” eu comecei a ler em PDF, mas parei porque ler pelo computador me cansa demais. Vou para o Brasil passar o final do ano lá. Se vc quiser, posso comprar pra voce e te envio depois. Nao tem problema! 🙂 Beijos!

    • Oi, Camila! Ai, muito obrigada pela oferta! Eu aceitaria com muita felicidade, mas não vou te incomodar porque também vou passar o fim do ano lá em São Paulo. Na verdade vou ficar até março, organizando as coisas do casamento e depois eu volto pra cá. Então vou conseguir comprar o livro. Mas muito obrigada mesmo!
      Ah! Eu também não gosto de ler livros pelo computador, acho cansativo. Mas depois você dá outra oportunidade pra esse livro, então, porque vale a pena. rs.
      Beijos!

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s