Documentários bacanudos que vi na Netflix (e no Youtube) #2

filmes

Oi, gente.

Cá estou eu com mais uma lista de coisas assistidas e acumuladas para eu comentar. Será que eu preciso repetir em cada publicação como essa que eu faço isso simplesmente porque gosto de compartilhar o que eu vejo-leio-escuto e acho bom? Vocês já sabem disso, né? O único objetivo é falar: “olha, assisti isso e achei legal, talvez você goste”, como a gente conta para os amigos. Ou talvez você já tenha visto sobre o que eu vou falar aqui, então entenda como: “eu vi também, vamos trocar figurinhas? O que você achou?”. Dito isso, não pensem que vou fazer aqui críticas sobre nada, deixo isso para os entendidos, OK?

Dessa vez vou falar de documentários. Eu gosto muito de documentários, então de vez em quando assisto alguns. Já tem quase um ano que compartilhei com vocês sobre os últimos documentários que eu havia visto (podem ler AQUI), então decidi fazer outra listinha agora. Então sem enrolações, vamos lá.

Amy

Meu Deus, esse documentário! Vocês gostam da Amy Winehouse? Então é: MEU DEUS, ESSE DOCUMENTÁRIO! Ele conta um pouco sobre a carreira dessa cantora, como ela começou, o auge da fama, até a sua morte. Conta seu envolvimento com drogas e álcool e seu relacionamento abusivo com o marido e o pai. Eu terminei de assistir chorando, porque da maneira como ele foi feito mostra como a a morte da Amy foi a consequência de uma série de fatores que poderiam (será?) ter sido evitados. Hoje ela poderia estar viva, com uma carreira musical mais brilhante do que a que ela construiu enquanto estava viva. Você pode dizer: “ah, mas a decisão de usar drogas e beber era dela”, o documentário mostra que não era algo tão simples assim. Aliás, abuso de drogas nunca é algo simples, né, colegas? Também mostra o lado cruel da mídia, explorando a doença da Amy, fazendo críticas e piadas de uma situação tão séria pela qual ela passou. Olha, não tem como não se sentir tocado com esse documentário, principalmente se você gostava (gosta) da Amy e de suas músicas, como eu. Vejam o trailer aí:

 

Cowspiracy

Esse tem sido um dos documentários mais indicados por mim nos últimos tempos. Se você ama carne, talvez fique um pouco chocado em assisti–lo e descobrir que a criação de gado para abate é a maior responsável pela poluição mundial. Talvez você não goste de saber que a produção de carne também é uma das grandes responsáveis pela contaminação da água potável. Mas honestamente, ainda que você não pare de comer carne, acho importante que todos nós saibamos de onde vem a comida que comemos e os impactos que algo que parece tão simples como comer um hambúrguer causa na natureza. Afinal, a comida não surge do nada e os recursos naturais não são infinitos. Esse documentário é sobre isso, sobre a indústria da carne e a “conspiração” por trás dela. Vale a pena assistir. Ele está na Netflix, mas vi que também colocaram  no Youtube, aproveitem enquanto está por lá. Aqui está o trailer:

 

India’s Daughter

Esse documentário me causou tristeza e revolta. Conta a história de uma jovem que foi estuprada e morta por seis homens em um ônibus, na Índia. Para mim foi bem chocante ver a fala de um deles (e de outras pessoas entrevistadas), que “justificavam” o estupro da menina pelo fato de ela estar andando sozinha voltando para casa em determinado horário. Ainda que a gente saiba que na cabeça desses misóginos isso se justifica e que todos os dias milhares de mulheres são mortas assim, é um pouco chocante ver essas falas ditas com uma frieza de dar medo. A morte dessa menina levou as mullheres às ruas na Índia, para protestar contra essa violência e mobilizar as pessoas para uma mudança nesse sentido e o documentário conta sobre isso também. Ainda existem pessoas que acham que machismo e misoginia não existem, talvez esse documentário seja um dos que nos ajudem a pensar mais sobre o tema e fazer algo a respeito. Vejam o trailer aí:

 

Cidade de Deus – 10 anos depois

Esse, como o próprio nome diz, fala sobre o famoso filme Cidade de Deus,10 anos depois de todo o sucesso que fez e continua fazendo. Na verdade, é sobre os atores que fizeram esse filme. No documentário há entrevistas com alguns deles sobre como foi gravar o filme na época e o que veio depois. Para ser sincera eu fiquei meio triste de ver esse documentário. Porque a triste realidade é que embora alguns participantes do filme tenham continuado da vida artística e feito um considerável sucesso, outros infelizmente não receberam muito em troca do trabalho que realizaram. Na verdade, para mim, o documentário mostra uma questão muito grave sobre o racismo na nossa sociedade, já que apenas a única mulher rica e branca que participou do filme é a que continuou em um carreira ascendente de trabalhos no cinema. Não que ela não seja boa no que faz, não é isso, mas obviamente ela está em uma situação privilegiada. Enfim, fiquei pensando nisso depois que vi o documentário, Se vocês assistirem, me contem o que acharam. O trailer está aí:

 

A carne é fraca

Esse documentário brasileiro é um tanto quanto chocante. Eu não o conhecia até que comecei a buscar mais informações e referências sobre o vegetarianismo. Como eu contei para vocês, estou em um processo para me tornar vegetariana. O documentário fala principalmente sobre a questão do maltrato animal e por que esse deveria ser um motivo para nos tornamos veganos. Assistir ele o reforçou mais a minha vontade de mudar de vida nesse sentido. Eu comentei sobre ele ser um pouco chocante porque na parte sobre maltrato animal, exibe cenas explícitas de violência, então pode ser que algumas pessoas não se sintam confortáveis em ver. Por outro lado, por que deveria ser confortável, não é mesmo? Já que para os animais nunca é confortável. Esse documentário está completo no Youtube, que foi onde eu assisti. Se você tiver interesse, pode ver ele AQUI. Abaixo está o trailer:

 

Democracia em Preto e Branco

Por fim, o último documentário que assisti recentemente foi esse. O contexto é 1982, momento conturbado da história do Brasil, quando a ditadura militar já estava chegando ao fim, mas ainda reprimia todos que iam contra ela. No Corinthians surge a Democracia Corinthiana, que mudou a história do time e dos jogadores. Nessa época todas as decisões do time eram decididas por todos, por meio de votação. Um jeito desafiador de se fazer futebol, especialmente naquela época. Eu comecei a assitir pensando que o documentário seria especificamente sobre futebol, mas também falam bastante sobre o rock nacional e sua fase de contestação, que surgia nessa mesma época. Vejam o trailer:

 

Bem, esses são os documentários que quis destacar entre os que vi nos últimos tempos. Se vocês também gostam de documentários e querem me indicar algum, eu sou super aberta a sugestões. Se vocês já viram algum desses, contem aí o que acharam.

 

 

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s