As músicas que não saem da minha cabeça #4 – U2

Escolhi uma foto velha porque estou nostálgica.

Escolhi uma foto velha porque estou nostálgica.

Oi, gente.

Desapereci daqui nos últimos dias. Continuo sem tempo, mas também um pouco sem vontade. Às vezes acontecem umas coisinhas na vida da gente que nos transforma tipo em uma bola murcha. Eu sou uma bola murcha nesse momento. Mas resolvi aparecer essa semana com música. Nada melhor do que música para melhorar o humor, né? Música salva a vida da gente.

Nas últimas publicações das músicas que não saem da minha cabeça só deu canções e artistas brasileiros. Embora no atual momento da minha vida realmente seja o que eu escute mais (músicas brasileiras e em espanhol), eu ainda escuto muita coisa gringa, de artistas que admiro e gosto. Como vocês sabem, as músicas não saem da minha cabeça não porque são ruins e grudam igual chiclete, mas porque eu gosto tanto que ouço com bastante frequência. As canções do U2 não poderiam ficar fora disso. Meus amigos sabem: eu tenho certa obsessão pelo U2. Sei que tem gente que acha a banda meio brega, mas para mim é a melhor banda do mundo. Todas as músicas do U2 são especiais e pelo menos 98% das letras parecem ter sido escritas para mim, ou poderiam ter sido criadas por mim, se eu fosse uma pessoa com essa veia artística e cheia de criatividade. São músicas que falam bastante comigo. Aliás, o que eu amo no U2 é isso: música boa com conteúdo. Então como eu não poderia colocar todas as músicas de todos os discos deles aqui, resolvi escolher apenas sete. Não são as que eu mais gosto, eu não consigo escolher as que eu mais gosto, depende do momento. A escolha foi feita de forma mais ou menos aleatoria, exceto por essa primeira:

I still haven’t found what I’m looking for é uma das músicas da minha vida. Eu tenho algumas músicas da minha vida, já falei sobre uma delas AQUI. São músicas que mais do que falar algo para mim, falam algo sobre mim. É meio louco isso, né? Sei que essa canção do U2 deve ser a música da vida de muita gente, mas cada vez que eu a escuto é como se ela tivesse sido escrita para mim e ninguém mais.

Kite é uma música que eu sempre gostei, mas que há poucos anos  ganhou um novo significado na minha vida, porque teve bastante a ver com o momento que eu estava passando. Comecei a amar essa música com todo meu coração e escutava ela repetidamente. Minha próxima tatuagem, inclusive, será feita pensando na mensagem dela, não apenas por causa da música, mas porque, como eu disse, diz respeito a um momento importante da minha vida.

Volcano provavelmente é a música que eu mais escuto do último disco do U2. Não é a que eu mais gosto, mas por algum motivo ela meio me hipnotiza e sempre tenho que repeti-la quando ela aparece em alguma das minhas playlists. Aliás, que belezura linda é esse último disco do U2, não é mesmo?

Exit é uma música que você não escuta as pessoas falarem: “nossa, essa é minha preferida do U2”, na verdade eu tenho a impressão que ela passa meio desapercebida em um disco tão poderoso quanto “The Joshua Tree”, que tem músicas como “Where the streets have no name”, “With or without you”, “I still haven’t found…”. Mas cada vez que eu ouço esse contra-baixo no começo da música, meu coração já bate mais rápido. E essa letra tão forte me deixa até meio atordoada. “As mãos que constroem também podem destruir, até mesmo as mãos de amor”, diz a canção. Nesse vídeo aí também tem um trechinho da música “Gloria”.

Tenho que confessar, escolhi a música Bad para colocar aqui mais por causa desse vídeo do que da música em si. É uma música maravilhosa e essa também tem um significado muito grande para mim, mas essa versão específica, ao vivo e tudo mais, é uma coisa de outro mundo. Eu tive o privilégio de ir no show do U2 em São Paulo, em 2011, foi uma das experiências mais legais que eu já tive. Mas esse show aí desse vídeo… se eu pudesse viajar no tempo e escolher 5 lugares para estar, com certeza esse show estaria na minha lista. Tenho que me contentar em ver no Youtube ou em DVD (tem um DVD desse show – Rattle and Hum). Se vocês puderem e quiserem, vejam o show completo algum dia, é uma lindeza sem tamanho. A performance do Bono, as versões ao vivo para as músicas… realmente vale a pena assistir.

Numb é minha música preferida do polêmico disco Zooropa. Procurem a letra dela, é uma lista de “não faça isso, não seja aquilo”, cheia de contradições. Uma crítica muito forte a esse entopercimento que vivemos, onde o “demais nunca é o bastante”.

Por fim, um dos já clássicos do U2. Eu não sei se a banda esperava que essa música se tornasse um “hino” para o engajamento social deles, não sei se a música foi criada com essa intenção. Mas para ser muito sincera, minha interpretação dessa música está muito mais próxima desse vídeo aí do que dessa “questão social”, de “somos todos um”, etc. Por isso eu quis colocar ele aqui, não qualquer outra versão da música. Eu adoro esse vídeo e gosto dessa ideia de falar de amor de um jeito diferente, na verdade, me parece uma certa decepção amorosa. Em determinado momento a música fala: “eu não posso continuar me agarrando ao que você tem, quando tudo o que você tem são feridas”, ou “você me deu nada e agora isso é tudo o que eu tenho”. “Sarah, mas a interpretação da música pro engajamento social não é muito mais “nobre”?”. Claro, gente. Mas aqui sou só eu vendo uma história triste de amor, desculpem minha insignificância.

Como bônus resolvi colocar outro vídeo dessa música, pelo simples motivo que eu amo esse vídeo também. Tirem dele as concluõses que quiserem:

Bem, então é isso, amiguinhos. Como eu falei, se eu pudesse colocaria aqui todas as músicas dessa banda maravilhosa, mas vamos começar com essas aqui e depois, se vocês quiserem, continuem escutando U2, porque faz um bem danado para a alma!

Vou tentar voltar aqui em breve.

Abraços.

Anúncios

2 comentários sobre “As músicas que não saem da minha cabeça #4 – U2

  1. Excelente lista!
    Pessoalmente incluiria Sunday Bloody Sunday e New Year’s Day, mas concordo com sua seleção.
    Agora sempre tive uma queda por Exit, que bom que não sou o único. Há algo sombrio, algo misterioso e profundo nas letras.
    “You know he got the cure, you know he went astray, he used to stay awake to drive the dreams he had away”
    Essa interpretação em Rattle and Hum, então, é algo fantástico. A voz poderosa do Bono, os acordes do Edge, a iluminação, a presença de palco da banda. Recomendo o DVD a todos, a atmosfera das músicas ao vivo é coisa de outro mundo.

    • Oi! Obrigada pela visita! Que bom que gostou da lista. Realmente, faltou um monte de músicas aí, mas acho que eu colocaria todas se pudesse, então tive que fazer uma esoclha meio aleatória, talvez baseada em como eu estava me sentindo no momento. Mas, sim, essas duas que você citou são praticamente obrigatórias… rs…
      Exit tem esse ar sombrio mesmo, talvez seja um pouco isso que nos atraia, será? E sobre o show, acho que as pessoas que puderam estar lá um presente para a vida inteira, é uma coisa de outro mundo mesmo.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s