Bloco Unidos da TPM (e outros assuntos aleatórios)

1467295_612927875411493_599974179_n

É Carnaval no Brasil, praticamente todo mundo que eu conheço está viajando, ou está se divertindo por aí nos bloquinhos, ou as duas coisas ao mesmo tempo. Eu estou em casa todos esses dias. Sem vontade de sair, sem vontade de fazer nada. Culpa de quem? Da TPM.

Eu falo da TPM com muita naturalidade, porque é uma coisa que faz parte da minha vida e da maioria das mulheres. Mas sei que tem muita gente que não gosta de falar sobre TPM e menstruação – são assuntos proibidos. “É muita informação, não precisa expor tanta intimidade”, essas pessoas dizem. Mas não é, é algo totalmente natural, normal e acho que nenhuma mulher precisa fingir que não está com TPM ou menstruada quando ela está só para não ferir os ouvidos dos outros. Vamos combinar, principalmente de homens que não suportam lidar com nada que tenha a ver com as realidades do corpo de uma mulher.

Na hora de fazer piadinhas machistas sobre o assunto, todo mundo gosta e acha engraçado. A mulher levanta o tom de voz por qualquer motivo e “nooooosa, está com TPM?”. Mas quando ela está lá com um mal-estar e dores e quer ficar deitada, de boa, porque está com TPM, é: “noooossa, que frescura”, ou quando está no período menstrual com cólicas e resolve ficar em casa, dizendo: “ai, não tô muito legal”, e a outra pessoa insiste: “não, para de frescura, vamos aí” e você já sem paciência diz: “eu estou menstruada, tô morrendo de cólicas”, a resposta é: “aff, não precisa me dar um cenário disso, basta dizer que tá indisposta”. Eu tô indisposta porque estou menstruada. MENSTRUADA mesmo, qual o problema?

Ando com preguiça e sem paciência com essas amostras grátis de machismo diário, vocês (mulheres que me leem aqui) também se sentem assim?

……

Mudando de assunto. Eu estava curiosa sobre porque minha história sobre a musiquinha do gás estava sendo tão acessada nesse blog. Por alguma razão misteriosa ela é uma das publicações mais acessadas no meu blog desde que eu a publiquei. Mas desde dezembro do ano passado as visitas a esse texto aumentaram MUITO. Em janeiro foram 229 visualizações, o que é muito para um blog desconhecido como o meu e para uma historinha tão bobinha.

Daí cheguei no Brasil e descobri a existência desse funk:

Não vou mentir, achei o funk engraçado, a criatividade das pessoas é algo admirável. Esse funk e essa dancinha estão fazendo tanto sucesso, que todo mundo na internet comenta e faz piada e parece que despertou ainda mais a curiosidade sobre a origem da musiquinha do gás. Tanto é que foram atrás do cara que realmente criou a musiquinha. Olha essa entrevista feita pela Revista Trip:

De repente tudo começou a fazer sentido. Buscando pela origem da musiquinha do gás, algumas pessoas acabam caindo no meu texto. Termos de busca como “origem da musiquinha do gás” aparecem com frequência.

Daí fico pensando que as pessoas que caem na minha historinha ficam muito decepcionadas. hahaha. Desculpem.

Mas agora tem outro mistério sobre a musiquinha do gás. Aqui na rua, quando o carro do gás passa com a música triste (eu acho triste), os cachorros ficam uivando. A Baleia sempre faz isso. Eu tenho uma teoria sobre esse fato, mas vou compartilhar em outro momento.

….

Sobre blogs.

Quero comentar que o blog Nossa América Latina está bem devagar e vai ficar assim até abril. Cristian e eu estamos completamente sem tempo para preparar alguma coisa com a qualidade que a gente quer. Principalmente com o casamento se aproximando está muito difícil. Então vamos  voltar para valer em abril, depois que tudo isso já tiver passado. Mas tem um post “novo” lá, que eu não comentei por aqui, que é sobre as festas de independência de Cartagena. No ano passado participamos de vários eventos, tiramos muitas fotos e compartilhamos tudo no blog. Se vocês tiverem curiosidade, podem ver clicando AQUI. É uma festa popular, como o Carnaval, mas ao mesmo tempo bem diferente. Nesse período de ausência no blog, nosso Instagram continuará ativo, como sempre.

Esse blog aqui vai continuar ativo em março, mas num ritmo beeem mais lento, com publicações de coisas que já tenho acumuladas para postar. Estamos chegando na reta final de organização do casamento e tudo é uma loucura. Não há tempo.

….

Estou lendo o terceiro livro do meu Desafio Literário de 2017, que é “Dias de Abandono”, da Elena Ferrante. Ainda estou no começo, mas já percebo muitas semelhanças com os dois livros anteriores que li da autora, “A Amiga Genial” e “A filha perdida” (esse acabei de ler). Parece ser recorrente nos livros dela a temática da maternidade, além da ideia de fugir (do passado, do presente, da terra natal…). Tenho a impressão – até agora –  de que suas personagens femininas são  meio parecidas, mas ao mesmo tempo, um tanto diferentes. Deixa eu ler mais coisas dela para desenvolver melhor esse pensamento depois, tá? Mas se vocês já leram mais livros da Elena Ferrante e talvez tenham essa impressão também, comentem aí. Vamos trocar figurinhas.

….

Em outro momento eu volto com mais falações. Mas podemos continuar conversando nos comentários. Eu ia falar para vocês aproveitarem o feriado de Carnaval, mas hoje é o último dia. Então, bem, espero pelo menos que vocês estejam descansados para voltar à vida real.

=)

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s